Penicilina Benzatina (Benzetacil)

grupos farmacológicos:

fórmula molecular:

C48H56N6O8S2

princípio ativo:

Penicilina Benzatina

Quais são os Nomes Comerciais da Penicilina Benzatina (Benzetacil)?

Benzetacil, benzatron, longacilin.

Qual é o Mecanismo de Ação da Penicilina Benzatina (Benzetacil)?

Exerce ação bactericida durante o estágio de multiplicação ativa dos microrganismos sensíveis. Atua por inibição da biossíntese do mucopeptídeo da parede celular. Não é ativa contra bactérias produtoras de penicilinase, as quais incluem muitas cepas de estafilococos.

Para que Penicilina Benzatina (Benzetacil) é Indicada?

É destinada ao tratamento de infecções causadas por germes sensíveis à penicilina G como: Infecções leves e moderadas do trato respiratório superior (faringoamidalites), da pele (escarlatina, erisipela) e Infecções venéreas (sífilis, bouba, bejel e pinta). Também é utilizada como Profilaxia da glomerulonefrite aguda e doença reumática.

Qual é a Posologia da Penicilina Benzatina (Benzetacil)?

É destinada ao tratamento de infecções causadas por germes sensíveis à penicilina G como: Infecções leves e moderadas do trato respiratório superior (faringoamidalites), da pele (escarlatina, erisipela) e Infecções venéreas (sífilis, bouba, bejel e pinta). Também é utilizada como Profilaxia da glomerulonefrite aguda e doença reumática.

Quais são os Efeitos Colaterais da Penicilina Benzatina (Benzetacil)?

Podem ocorrer reações de hipersensibilidade com qualquer dose. As reações mais comuns incluem exantema maculo papular, urticária, febre, broncoespasmo, dermatite esfoliativa, sínd rome de Stevens-Johnson e anaflaxia. Anemia hemolítica também é relatada. Nefrotoxicidade é rara.

Quais são os Cuidados de Enfermagem para Pacientes sob uso de Penicilina Benzatina (Benzetacil)?

• Verificar antes de administrar a medicação se o paciente não possui histórico de sensibilidade a penicilina ou cefalosporinas. Porém, não deve realizar testes de hipersensibilidade pois pode causar danos ao paciente.

• Antes de realizar a administração analisar o aspecto da medicação (se caracteriza por ser um pó branco a levemente amarelado).

• Não deve-se injetar o medicamento de forma intra-arterial ou intravenosa, ou junto a grandes troncos nervosos, uma vez que tais injeções podem produzir lesões neurovasculares sérias, incluindo mielite transversa com paralisia permanente.

• Em tratamentos prolongados, particularmente quando são utilizados regimes de altas doses, deve-se realizar avaliações periódicas das funções renal e hematopoiética do paciente

• Manipular o medicamento com cuidado pois pode causar eczema nas mãos e braços

• Verificar as interações medicamentosas.

• Deve ser administrada exclusivamente por via intramuscular profunda, evitando-se a proximidade de artérias e nervos. Recomenda-se a injeção no quadrante súpero-externo da região glútea

Referências

BRASIL, ANVISA. Bulário Eletrônico. 2016. Disponível em: https://consultas.anvisa.gov.br/#/bulario/. Acesso em: 02 mai. 2022.

BARROS, Elvino. Medicamentos de A a Z: 2016-2018. 5. ed. Porto Alegre: Artmed, 2016.

CAETANO, Norival. BPR – Guia de Remédios 2016/17. 13. ed. Porto Alegre: Artmed, 2016.

escrito por:

Gabriel Fellipe Félix Lima

Gabriel Fellipe Félix Lima

Graduando em Enfermagem pela PUC Goiás, Designer Gráfico, Programador e Apaixonado por Tecnologia!