Buscopan Composto

grupos farmacológicos:

fórmula molecular:

C17H21NO4 + C13H16N3NaO4S

princípio ativo:

butilbrometo de escopolamina (hioscina) + dipirona sódica

Quais são os Nomes Comerciais do Buscopan Composto?

Buscopan composto, Hioscina + Dipirona, Algexin composto.

Qual é o Mecanismo de Ação do Buscopan Composto?

butilbrometo de escopolamina (Hioscina) exerce um efeito espasmolítico na musculatura lisa do trato gastrintestinal, das vias biliares e geniturinárias. Não atravessa o sistema nervoso central e a ação anticolinérgica periférica resulta de uma ação bloqueadora ganglionar na parede visceral e de sua atividade antimuscarínica. A dipirona apresenta importantes propriedades analgésicasantipiréticas e espasmolíticas.

Para que Buscopan Composto é Indicado?

É indicado para o tratamento sintomático de cólicas dos tratos gastrintestinal e geniturinário, assim como cólicas e discinesias das vias biliares e tratamento da dor.

Qual é a Posologia do Buscopan Composto?

Escopolamina + dipirona (Buscopan composto®):

Adultos: 20- 40 gotas/dose ou 1-2 drágeas/dose de 3-4x/dia.

Quais são os Efeitos Colaterais do Buscopan Composto?

Hipotensão, tontura, boca seca, erupção cutânea-medicamentosa, agranulocitose, reações cutâneas, choque, rubor e distúrbios da acomodação visual.

Quais são os Cuidados de Enfermagem para Pacientes sob uso de Buscopan Composto?

• Recomende ao paciente que evite consumo de álcool e o uso concomitante de outros depressores do SNC, como também de qualquer outra droga ou medicação, sem o conhecimento do medico durante a terapia.

• A medicação de ser administrada exatamente conforme o recomendado e o tratamento não deve ser interrompido, sem o conhecimento do medico, ainda que o paciente alcance melhora

• A medicação não deve ser usada em crianças com menos de 3 meses de idade ou menos de 5kg de peso corporal, nem durante a gestão ou lactação.

• Se atentar a reações de hipersensibilidade, uma vez que os pacientes mais sensíveis podem apresentá-las independentemente da dose e a interação com outros medicamentos

• Na aplicação endovenosa: aplique lentamente; não adicione outras substancias na mesma seringa.

Referências

BRASIL, ANVISA. Bulário Eletrônico. 2016. Disponível em: https://consultas.anvisa.gov.br/#/bulario/. Acesso em: 02 mai. 2022.

BARROS, Elvino. Medicamentos de A a Z: 2016-2018. 5. ed. Porto Alegre: Artmed, 2016.

CAETANO, Norival. BPR – Guia de Remédios 2016/17. 13ª ed. Porto Alegre: Artmed, 2016.

escrito por:

Gabriel Fellipe Félix Lima

Gabriel Fellipe Félix Lima

Graduando em Enfermagem pela PUC Goiás, Designer Gráfico, Programador e Apaixonado por Tecnologia!